Tag Archives: winebar

22jun/15
Thumbnail

Um belo exemplar de Pinot chileno: Arboleda Pinot Noir 2013

Participamos no último dia 10 de junho de mais uma degustação virtual promovida pelo Winebar, que contou com a presença da embaixatriz da Viña Arboleda, Maria Eugênia Chadwick (veja aqui). Fundada em 1999, a bodega é um projeto pessoal do respeitado Eduardo Chadwick na região do Aconcagua.
No último post (relembre) comentei Chardonnay da mesma safra 2013, com um excelente resultado na taça. Mas, hoje a vez é de um tinto também muito bom, elaborado com a queridinha (e incompreendida talvez na mesma proporção) Pinot Noir, originária da França, mas que dá bons resultados em várias partes do mundo, com estilos diferentes, nem sempre parecidos com os famosos e caros Borgonha.
O vinho de hoje envelheceu durante 12 meses em barricas de carvalho francês, sendo que 25% delas são novas. Interessante que a passagem de um ano por madeira não deixou o vinho amadeirado em exagero, ao contrário não escondeu a fruta e considero que o carvalho lhe deu complexidade e suas características estão em boa integração com o frutado.
Na taça a coloração é típica dos Pinot, um rubi de boa transparência. Nos aromas as tradicionais frutas vermelhas silvestres, cereja, algum floral e notas lembrando folhas secas. A madeira está discreta, com aromas levemente tostados.
Na boca tem corpo típicos dos Pinot do Novo Mundo, mas sem os exageros do álcool ou da madeira, algo que infelizmente acontece. Elegante, com boa acidez e taninos presentes, sem agressividade. Fruta exuberante se repetindo, com notas tostadas da madeira (sem excessos) e bom equilíbrio entre suas características. Refrescante. Tem final longo, repetindo tudo e dando vontade de mais uma taça.
Confesso que já bebi vários Borgonha mais acessíveis, procurando encontrar algum interessante e que caiba no meu bolso. Então, posso afirmar que pelo preço desse vinho encontrei muito poucos franceses com características tão interessantes.
*** Por favor, leiam o parágrafo acima novamente, para que não fique a impressão de que estou comparando os vinhos da Borgonha com os Pinot Noir do Chile. Combinado?
Para harmonizar com o vinho a vinícola indica pratos à base de aves, risotos delicados, importando que não sejam muito temperados.
Detalhes da compra:
O vinho é importado pela Expand e vendido em sua loja virtual por R$155, mas essa garrafa eu recebi em casa para participar de mais uma degustação virtual promovida pelo Winebar (veja aqui a entrevista completa).
Saúde a todos!

Originally posted here - 

Um belo exemplar de Pinot chileno: Arboleda Pinot Noir 2013

15jun/15
Thumbnail

Branco chileno de personalidade, maduro e ideal para sushi: Arboleda Chardonnay 2013

Participamos no último dia 10 de junho de mais uma degustação virtual promovida pelo Winebar, dessa vez entrevistando a Maria Eugênia Chadwick, embaixadora internacional da marcaViña Arboleda, fundada em 1999. É um projeto pessoal do respeitado Eduardo Chadwick na região do Aconcagua, cujo nome é uma homenagem às árvores nativas preservadas em suas vinhas. Em seus vinhedos.

Em seus vinhedos cultiva as brancas chardonnay e sauvignon blanc, além das tintas pinot noir, carmenère, syrah e cabernet sauvignon. Particularmente gostamos muito dos vinhos de regiões mais costeiras do Chile, como San Antonio, Leyda e Casablanca.

O vinho de hoje, um 100% chardonnay, foi premiado recentemente no Japão com o título de “Melhor Vinho para Sushi”, pela Asian Food Sushi, num painel que reuniu 340 especialistas. Segundo enfatizou a assessoria de imprensa, “os juízes enfatizaram a acidez e aroma de laranja misturado com notas sutis de frutas tropicais como manga e abacaxi, deixando a boca com mineralidade refrescante, principais características que o levaram à premiação. Estas características, juntamente com a densidade e viscosidade, alcançam uma combinação perfeita com ingredientes ricos em gordura, como queijo, creme sushi, abacate, camarão, e única e irrepetível geração de salmão”.

Durante a vinificação o vinho é fermentado integralmente em barricas de carvalho francês (30% novas). A alguns dos lotes foram inseridas leveduras selecionadas, enquanto uma grande parte (44%) foi fermentada em barricas, usando leveduras silvestres naturalmente presentes na pele das uvas. Depois disso, passou dez meses por envelhecimento sur lieparaganhar complexidade.

Vamos ao vinho!

Na taça apresenta coloração amarelo-palha. Bem aromático, predominando notas maduras, de frutos brancos e tropicais como abacaxi em calda, maracujá doce e boa presença do tostado da passagem por barricas de carvalho.
Na boca é intenso em sabores. Vinho maduro, de acidez mediana e boa complexidade. Frutos tropicais bem maduros, madeira dando recado, mas sem deixar o vinho pouco interessante. Refrescante e de personalidade. Final médio-longo, repetindo no palato todas as características percebidas no nariz e na boca.

Ao ler a descrição acima – a respeito do uso da madeira e do envelhecimento sobre as borras da fermentação – poderíamos imaginar um vinho pesadão, que fosse difícil de agradar até o último gole, porque é comum encontrarmos vinhos assim por aí. Mas, não foi o caso desse.

A harmonização poderia ser com carnes brancas, aves e queijos brancos. Um vinho maduro, com boa capacidade para harmonizações, mas aqui em casa testamos com sushis que nossa filha adora. Ficou muito bom!

Detalhes da compra:

O vinho é importado pela Expand e vendido em sua loja virtual por R$120, mas essa garrafa eu recebi em casa para participar de mais uma degustação virtual promovida pelo Winebar (veja aqui).

Saúde a todos!

Original article - 

Branco chileno de personalidade, maduro e ideal para sushi: Arboleda Chardonnay 2013

24mai/15
Thumbnail

Provamos o elegante Salton Desejo Merlot 2008

No dia 28 de abril foi realizada mais uma edição do Winebar, degustação virtual que acontece via Youtube e recebi três vinhos da tradicional Vinícola Salton para participar do evento. Infelizmente, em razão de atropelos da vida pessoal, não consegui participar ao vivo, mas os comentários sobre minhas impressões estarão aqui aos poucos.
Esse vinho já é um clássico brasileiro. Um 100% Merlot que está entre os tops da vinícola e que é sinônimo da alta qualidade que essa uva pode alcançar no Vale dos Vinhedos. Além disso, é um vinho com um bom preço e que entrega um resultado justíssimo pelo que se paga. Uma das boas compras, sem dúvida, dentre os tintos do Brasil.
Em sua elaboração o enólogo Lucindo Copat utiliza barricas novas de carvalho, numa composição de 50% francês e 50% norte-americano, onde o vinho permanece por 12 meses. Depois de engarrafado ainda amadurece por, no mínimo, 12 meses nas caves da vinícola, adquirindo complexidade.
O vinho tem coloração púrpura. Aromas em boa intensidade, elegantes, lembrando frutos negros, amoras e uma madeira muito bem integrada, com seus toques de chocolate, tabaco e café. Na boca é muito equilibrado e sem qualquer desequilíbrio. Macio, com taninos redondos e boa acidez.
Estilo elegante que lembra um Bordeaux e por isso tem vocação gastronômica. Final persistente, prazeroso, marcado pela fruta em bom conjunto com as notas da madeira.
Se você gosta de vinhos muito frutados, com notas adocicadas e madeira abundante… esse não é pra você. Mas, se gosta do equilíbrio e da elegância, provavelmente irá gostar.
Já está com 7 anos de idade e me parece em ótimo momento para ser aberto agora. Ideal para acompanhar queijos maduros, carnes vermelhas e massas com molhos mais estruturados.
Detalhes da compra:
Recebi o vinho para degustar na edição do Winebar, mas na loja virtual da vinícola é vendido por R$66 (veja aqui).
Saúde a todos!

Link: 

Provamos o elegante Salton Desejo Merlot 2008

07jan/15
Thumbnail

Vinhos do Galvão Bueno são apresentados no Winebar #winebar

Nome:Bueno Paralelo 31 / Bueno La Valletta

Safra:2011 / 2011
País:Brasil / Itália
Região:Campanha Gaúcha / Toscana
Produtor:Bueno Wines

Uvas/Corte:Cabernet Sauvignon, merlot e petit verdot / Sangiovese
Teor alcoólico:14% / 14%
Rolha:Cortiça
Onde foi comprado:Gentilmente nos enviado pelo Winebar
Degustado em:17 de novembro de 2014
Onde bebeu:Em casa, no Rio
Harmonizado com:Queijos, pães feitos em casa, azeite e aceto
Com quem:Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor

Análise Visual: elevada intensidade corante com tonalidade vermelho rubi, profundo.
Análise Olfativa: aroma penetrante de fruta de casca escura e madura, elegantes notas de tosta e de tabaco de charuto.
Análise Gustativa: denso e equilibrado, com refrescantes notas balsâmicas e uma acidez fixa muito balanceada
Análise visual: rubi de média intensidade com reflexos brilhantes, típicos da variedade.
Análise olfativa: fruta vermelha, como a cereja, rosas e folhas secas dominam a paleta de aromas. Ameixas secas, caramelo e notas balsâmicas completam a grade olfativa.
Análise gustativa: equilibrado, fresco, acidez jovial, final frutado e persistente.

Impressões da Rafaela
Este Bueno Paralelo 31 é um vinho para ser bebido sem grandes compromissos. Vinho que vai bem com diversos tipos de comidas. É daqueles vinhos-coringa. Já o La Valletta é um vinho de mais respeito, mas que também vai agradar a todos, dos iniciantes aos com boa litragem. Vinho fácil de beber, amigável, sedoso e que combina com grande variedade de pratos – pelo simples fato de ser feito para não atrapalhar.

Comentário do Claudio
Exame visual:-
Exame olfativo:-
Exame gustativo: Mais uma boa edição do Winebar, desta vez com a presença do enólogo Roberto Cipresso, responsável pela produção dos vinhos do narrador Galvão Bueno, no Brasil, na região da Campanha Gaúcha e na Itália, região da Toscana. Provamos dois vinhos. O brasileiro Paralelo 31, vinho que já tinha provado em outra safra e que mostrou evolução nesta safra atual, mostrou em boca uma mistura de frutas maduras com pimenta preta, arredondado pela madeira. Vai bem com comida e não deve ficar respirando muito, pois com o tempo aberto ele perdeu um pouco. O vinho italiano provado foi o La Valletta, um gostoso Sangiovese, redondo, de corpo médio e boa acidez. Vinho muito agradável, com taninos bem redondos, leve nota de madeira. Irá bem tanto sozinho como com comida. Um vinho muito fácil de se gostar. O Galvão parece muito bem assessorado e vai ser interessante ver como Cipresso irá conduzir a produção no Brasil.

Continue reading: 

Vinhos do Galvão Bueno são apresentados no Winebar #winebar

22dez/14
Thumbnail

Apreciando os vinhos do “Movi” – o Movimento Chileno que reage ao sabor padronizado

Os vinhos do Movi, normalmente, imprimem no contra-rótulo com a logomarca do Movimento

Vinhos com personalidade, alta qualidade e produzidos em escala humana, isto é, em pequena quantidade e sem uso de muita tecnologia. Essencialmente, são essas as principais características dos vinhos produzidos pelo Movi – o Movimento de Vinhateiros Independentes do Chile. Vinhos de Autor – Formado por produtores de vinhos chilenos que se uniram para “aportar […]

Apreciando os vinhos do “Movi” – o Movimento Chileno que reage ao sabor padronizadoBlog Vinho Tinto.

Link: 

Apreciando os vinhos do “Movi” – o Movimento Chileno que reage ao sabor padronizado

28nov/14
Thumbnail

Refrescante e sedutor: provamos o tradicional coquetel Bellini, importado pela Expand

Quem nunca fez um coquetel com espumante? E, se você fez, certamente já testou a famosa receita do coquetel Bellini: para cada duas partes de Prosecco, uma parte de purê de pêssego branco. Bom, pelo menos essa é a receita “oficial” que consta no site da International Bartenders Association, que cita o coquetel como um de seus clássicos-contemporâneos (veja aqui).
Mas, no último dia 5 de novembro tivemos a oportunidade de provar o coquetel elaborado pela vinícola Canella, fundada por Luciano Canella em 1948, que especializou-se na década de 1980 na elaboração dos famosos espumantes Prosecco. Mas, porque não apostar também no famoso coquetel?
A receita do Bellini Canella não é exatamente a clássica, até acredito que seja mais interessante porque, além da proporção de espumante e suco de pêssego branco, leva algumas gotas de framboesa. Por isso a cor é um pouco diferente da receita original, mas o resultado é muito refrescante e agradável. Muita fruta, fácil de beber, sem sensação alcoólica (apenas 5% de teor), além de muito bonito na taça. Um drink perfeito para os dias quentes, para o litoral, para a piscina, para momentos descontraídos com os amigos e a família.
Imagem:http://www.canellaspa.it/
A origem desse coquetel é o Harry’s Bar, em Veneza, onde em 1945 o italiano Giuseppe Cipriani desenvolveu a receita e três anos depois escolheu o nome Bellini. A lista de famosos frequentadores do bar é bem grande: Ernest Hemingway, Arturo Toscanini, Charles Chaplin, Winston Churchill, Sumerset Maughan, Marcelo Mastrianni, Humphrey Bogart, Lauren Bacall, Pablo Picasso e Truman Capote, entre muitos outros.
Não pertencemos a nenhuma lista de famosos, mas passamos a fazer parte da imensa lista de apreciadores do Bellini Canella depois dessa degustação!
A importadora exclusiva da bebida para o Brasil é a Expand, que o vende em sua loja virtual por R$85 (veja aqui).
Saúde a todos!

Taken from: 

Refrescante e sedutor: provamos o tradicional coquetel Bellini, importado pela Expand

03nov/14
Thumbnail

Um espumante leve e descontraído: Salton Intenso #winebar

Nome:Salton Intenso
Safra:-
País:Brasil
Região:Tuiuty
Produtor:Vinícola Salton
Importador:-

Uvas/Corte:Chardonnay, Pinot Noir e Riesling
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha:Cortiça
Numeração da garrafa:-
Preço:Enviado pela vinícola para participação no Winebar
Onde foi comprado:-
Quando foi comprado:-
Degustado em:5 de agosto de 2014
Onde bebeu:Em casa
Harmonizado com: Comida Thai
Com quem:Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Coloração amarelo claro, com intensas e finas borbulhas, formando uma coroa de espuma branca na superfície do líquido. Expressa aromas equilibrados entre o frescor de suas variedades e a prolongada permanência sobre borras finas: cítricos, flores brancas, frutos secos, cevada tostada e levedura. Sua cremosidade e estrutura envolvem o paladar, em meio a uma refrescante e equilibrada acidez.

Impressões da Rafaela
Espumante bem feito, que vai agradar a maioria das pessoas que o provar. Sabor tem um quê de abacaxi. Gostoso. Parece leve, mas creio que fica melhor se harmonizado com algum comida.

Comentário do Claudio
Exame visual:Amarelo bem clarinho
Exame olfativo:-
Exame gustativo: Este espumante foi apresentado em uma edição do Winebar. Acabamos não bebendo no dia da transmissão on line, mas não deixamos de provar. Este espumante, como o rótulo sugere, é alegre e festivo. Um espumante fácil, descomplicado, refrescante, para beber sem compromisso. A garrafa vai rápido e agrada pelo seu perfil leve. Espumante para festa e para eventos com públicos ecléticos. Resumindo, um espumante divertido.

Visit site: 

Um espumante leve e descontraído: Salton Intenso #winebar

02nov/14
Thumbnail

Novo espumante rosé da Dunamis é apresentado no Winebar

Nome:Dunamis

Safra:2013
País:Brasil
Região:Bento Gonçalves
Produtor:Dunamis Vinhos
Importador:-

Uvas/Corte:Malbec 50%e Merlot 50%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha:Cortiça
Numeração da garrafa:-
Preço:-
Onde foi comprado:Gentilmente oferecido pelo Winebar/Dunamis
Quando foi comprado:-
Degustado em:29 de outubro de 2014
Onde bebeu:Em casa
Harmonizado com:Quibe e pães árabes
Com quem:Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Possui cor salmão clara. Em boca acidez refrescante e equilibrada com forte presença de sabor frutado. Notas de frutas vermelhas como morango, cereja e groselha se fundem originando um aroma delicado e fino.

Impressões da Rafaela
A Dunamis Vinhos apresentou no Winebar este novo rosé brut. O vídeo completo pode ser acessado aqui.Fiquei bem impressionada. Este espumante é diferente de outros que já provei, parece ter mais corpo, mais personalidade, além dearomas bem presentes, tanto no nariz quanto em boca. Gostei muito. Nas próximas semanas, iremos provar os outros dois vinhos que foram enviados para degustação, os já conhecidos Ar Brut e Ar Moscatel.

Comentário do Claudio
Exame visual:-
Exame olfativo:-
Exame gustativo: A Dunamis é uma novata vinícola brasileira que desde o seu nascimento se propôs a seguir caminhos diferentes. Em geral, seus vinhos e espumantes são fáceis de se beber, sem complicação. Já fizeram pesquisa com consumidores, já lançaram um Merlot vinificado em branco e tivemos a oportunidade de provar durante a última edição do Winebar o último lançamento: um espumante rosé feito de Merlot e Malbec. O mais interessante deste espumante é que ele foge do óbvio. Fácil de beber, ele apresenta notas florais em boca, corpo médio e boa acidez. É um espumante diferente, bem feito e que me agradou muito. Vai funcionar bem com os dias de calor que estão por vir.

Excerpt from:

Novo espumante rosé da Dunamis é apresentado no Winebar

27out/14
Thumbnail

Salton Paradoxo Gewürztraminer, um interessante vinho branco no Winebar

Nome:Salton Paradoxo
Safra:2014
País:Brasil
Região:Campanha Gaúcha
Produtor:Salton
Importador:-

Uvas/Corte: Gewürztraminer 100%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha:Rosca
Numeração da garrafa:-
Preço: R$ 25
Onde foi comprado: Gentilmente nos presenteado pelo Winebar.
Quando foi comprado: -
Degustado em:9 de outubro de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Sushi
Com quem:Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Amarelo palha vivo em sua coloração. Notas florais de rosas, e frutais de pera, lichia, pomeloe abacaxi aparecem no aroma. Seu sabor é leve e refrescante, de agradável permanência no paladar.

Impressões da Rafaela
Vinho extremamente leve. Bom para ser bebido até sem comida. Ótimo custo/benefício. Ele entrega cada centavo pago e ainda sobra um troco. Este foi o primeiro Winebar com transmissão pelo You Tube. Ficamos bem satisfeitos com a qualidade. Quem ainda não conhece o projeto Winebar, recomendo fazê-lo:www.winebar.com.br. É um vinho que vale a pena ter em casa para reuniões com amigos.

Comentário do Claudio
Exame visual:-
Exame olfativo:-
Exame gustativo: Mais uma edição do Winebar com a participação da vinícola Salton mostrando suas novidades. A Salton está se especializando em produzir bons vinhos com ótimo custo, perfeitos para quebrar os preconceitos que ainda existe ao vinho brasileiro. Este Gewurztraminer, cepa pouco plantada por aqui, se mostrou muito agradável e bem feito. Vinho leve, aromático, delicado, leve acidez, fácil de se beber e vai agradar a paladares diferentes. Versátil, pode-se bebê-lo sozinho ou serve para acompanhar muito bem alguns pratos de comida. Comemos com sushi de salmão, que combinou perfeitamente. Um vinho descontraído e que vale ser degustado.

Follow this link:  

Salton Paradoxo Gewürztraminer, um interessante vinho branco no Winebar